fôlego #2 | tão simples

A jornada amorosa é um fio possível ao qual as imagens se enlaçam sem se amarrarem. Não menos legítimo seria enxergá-las não em linha, mas em teia - estados de espírito caleidoscópicos.

A dúvida, o prazer, o pertencimento, a dor, o vazio.

O eu e o outro, que meu corpo deseja, frequenta e confronta. Que me espelha e se diferencia. Alteridade irremediável.

As obras selecionadas para o Fôlego #2 trazem em si a advertência: NÃO CONTÉM IRONIA. À um coração aberto não interessa o distanciamento. O amor é explícito, visceral, hard core.

Direto, mesmo quando não é claro. O amor é expressão.

A curadoria desta mostra é pessoal, é simples. Pode ser encarada como quem ouve uma música e pensa “eu já senti exatamente isso”.

Isso, o amor, essa coisa tão complexa.



I want to write something/ so simply/ about love /or about pain /that even /as you are reading /you feel it /and as you read /you keep feeling it /and though it be my story /it will be common, /though it be singular /it will be known to you /so that by the end /you will think— /no, you will realize — /that it was all the while /yourself arranging the words, /that it was all the time /words that you yourself /out of your own heart /had been saying.

 

Mary Oliver, I want to write something so simply

 

Jade Marra

Singh Bean

Gabriela Silveira

Patrícia Marques

Soledad Manrique

Fernanda Motta

Jade Marra

Soledad Manrique

Gabriela Silveira

Patrícia Marques

Ana Clara Olac

Gabriela Silveira

Nataly Callai

Jade Marra

Soledad Manrique

Pauline Zenk

Fernanda Liberti

Giulia Puntel

Giulia Puntel